Exercícios tarja preta

 

 

     Há pouco mais de dez anos, quando o mercado fitness ainda condenava diversos movimentos, comecei a chamar a atenção para a importância de termos nos programas de treinamento de força, exercícios como o agachamento e o levantamento terra (proibidos em um grande número de academias naquela época). Entre 2008 e 2012 ministrei em diversas ocasiões a palestra chamada - Repensando antigos exercícios: agachamento, levantamento terra e suas variações. O objetivo era tentar mostrar para os professores que estávamos no caminho errado com relação à seleção de exercícios para os programas de treinamento.

O meu argumento era, e ainda é muito simples de entender. Por conta da especificidade dos ganhos em força - maiores ganhos em força ocorrerão em movimentos com maior semelhança ao exercício utilizado no treinamento (Young 2006), os exercícios utilizados nos programa de treinamento devem manter certa semelhança mecânica com as demandas motoras esportivas ou do dia a dia (empurrar, puxar, agachar, dobradiça de quadril...). Por esse motivo, grandes treinadores de força utilizam tal modelo de seleção de exercícios em seus programas (Boyle, 2010; John, 2009). O mercado mudou, evoluiu, e hoje os movimentos básicos de força e até mesmo os de levantamento olímpico são frequentemente utilizados nos centros de treinamento.

     Entretanto, em razão do elevado grau de complexidade, costumo chamar os exercícios básicos de força de - EXERCÍCIOS TARJA PRETA, fazendo relação com os medicamentos tarja preta. Medicamentos tarja preta são assim denominados porque apesar de causarem um grande benefício para o indivíduo, apresentam também algum risco para a saúde do mesmo. Por esse motivo, tais medicamentos só podem ser adquiridos mediante receita médica. Um bom médico saberá prescrevê-los de forma a minimizar o risco e maximizar o benefício.

 

     O mesmo ocorre no caso dos exercícios citados. Apesar de se apresentarem, de maneira geral, como a melhor estratégia de seleção de movimentos em um programa de treinamento de forca, se realizados de forma inadequada, o risco de lesão é real. De forma análoga, um bom Profissional de Educação Física saberá ensinar a mecânica correta dos movimentos em questão de forma a minimizar os riscos de lesão e maximizar os benefícios para o seu aluno/atleta. Na minha opinião, essa deveria ser a principal tarefa de um profissional de educação física – EDUCAR O MOVIMENTO, para em seguida “usar” o movimento para obter os diversos benefícios conseguidos com o exercício físico regular.

      É preciso que se entenda que o que leva à lesão é o de excesso de carga associado a uma técnica inadequada de movimento. É engraçado escutar pessoas dizendo que esta ou aquela atividade é lesiva (a bola da vez e o CrossFit, mas a não muito tempo atrás era a musculação... falarei sobre isso em um próximo artigo) porque QUALQUER ATIVIDADE é lesiva se os movimentos forem executados com carga em excesso e com uma mecânica precária.

 Por isso sempre digo que NÃO SE DEVE SOBRECARREGAR UM MOVIMENTO IMPERFEITO. Ainda mais se tratando de um exercício Tarja Preta... Um bom treinador deve conhecer a capacidade motora de seu aluno/atleta e saber usar a melhor variação de cada movimento básico para desenvolvê-lo de forma segura e eficaz. Ao mesmo tempo deve trabalhar exaustivamente a técnica de forma a aumentar o arsenal de exercícios possíveis com tal aluno/atleta.

      Vamos tomar como exemplo o agachamento. Um agachamento ideal deve ser executado em sua amplitude completa: quadril abaixo da linha dos joelhos; joelhos alinhados com a ponta dos pés que se encontram ligeiramente abduzidos e coluna mantida na posição neutra. Como eu disse, esse seria o cenário ideal, mas poucas pessoas conseguem realizar tal padrão hoje em dia sem produzir compensações motoras importantes. Dessa forma, o papel de um bom treinador é identificar os erros e tratar de corrigi-los enquanto realiza adaptações no movimento para que este possa ser sobrecarregado de forma segura.

      Em resumo, o mais complexo dos exercícios (tarja preta) não será lesivo se for bem ensinado e se forem realizadas as progressões adequadas. Por esse motivo a orientação correta de um bom profissional de Educação Física é fundamental!!!!!!

 

Referências

Boyle M. Advances in Functional training: training techniques for coaches, personal trainers and athletes. 2010 On Target Publications. Aptos, USA

Jonh D. Never Let Go: a philosophy of lifting, living and learning. 2009 On Target Publications. Aptos, USA

Young WB. Transfer of strength and power training to sports performance. International Journal of Sports Physiology and performance 2006; 1, 74-83.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Comportamento Sedentário, Saúde e Obesidade

January 31, 2019

1/4
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags